BBT - Teste de Fotos e Profissões

 

3127010030456

TESTE DE FOTOS E PROFISSÕES – BBT

 

O Teste de Fotos e Profissões – BBT é um método projetivo de avaliação de aptidões profissionais que poderá ser aplicado em indivíduos a partir de 12 anos de idade, com tempo de aplicação livre. O BBT - (acrónimo do alemão Berufsbildertest) foi criado por Martin Achtnich (1918 - 1996), Psicólogo, Filósofo e Pedagogo suiço, com base teórica em Leopold Szondi do qual foi discipulo. O teste foi desenvolvido na Suíça em 1961 e publicado apenas em 1978, após dezesseis anos de estudos e pesquisas dentro do campo da orientação profissional, o mesmo se apresenta em duas versões: Feminina e masculina e é frequentemente utilizado em diversas áreas profissionais e de desenvolvimento de pessoal. Sua versão brasileira foi publicada em 1991 por André Jacquemin, que elaborou estudos que validaram a precisão do teste no Brasil.

O teste segue a base teórica de Leopold Szondi (1893 - 1986) um Médico Psicopatologista e Psicanalista húngaro, que acreditava que o ambiente tem o poder de lapidar o homem, mas que a herança genética e fatores pulsionais determinarão até que ponto o indivíduo será moldado pelo ambiente, por isso, pregava que a maioria das coisas que definem o destino das pessoas como: Profissão, amizades, escolhas amorosas, as doenças e até a morte, são parcialmente regidas pelas heranças genéticas ocultas no próprio sujeito.

Com base nesta fundamentação teórica Martin Achtnich, criou o teste BBT determinando oito tendências fatorias de inclinação retiradas da teoria de Szondi. Para o autor a "vocação" para atuação em alguma área profissional, precisará além de aptidões e capacitação uma inclinação do indivíduo para a realização da terefa, em conjunto com seus interesses e necessidades pessoais, assim tais atividades serão humanizadas e socializadas em seu contexto histórico, social e cultural.

O BBT original apresentava 96 fotografias em preto e branco no formato 10 cm por 10 cm, mostrando homens trabalhando em diversas profissões. Em 1973 foi desenvolvida a versão feminina do teste com 100 fotografias de mulheres trabalhando em diversos setores. Já a adaptação brasileira substituiu praticamente um terço das fotografias originais, inserindo o teste para a realidade cultural das profissões brasileiras, formando assim um conjunto de 112 fotografias a serem analisadas pelo testando.

Fatores de Inclinação apresentados no teste:

W - Ternura, feminilidade, devoção.

K - Força, força física, dureza, obstinação, agressão.

S - Senso social, com duas tendências:
Sh - disponibilidade a ajudar, fazer o bem, curar, participar.
Se - energia, coragem, dinamismo, necessidade de movimento e de ação.

Z - Necessidade de mostrar, de representar, estética.

V - Entendimento, razão, lógica, necessidade de conhecimento, clareza, racionalização, limitação e determinação.

G - Espírito, inspiração, imaginação criadora, criatividade, ideia, intuição, tendência à expansão.

M - Matéria, substância, relação com a posse (analidade).

O - Oralidade, com duas tendências:
Or - necessidade de falar, comunicação, amabilidade,
On - relação com a alimentação, comer.

As inclinações do sujeito virão à tona a partir da apresentação das 112 fotografias (cartões) que compõem o teste, que serão apresentadas pelo o aplicador, após analisadas pelo indivíduo o mesmo deverá classificá-las segundo seu critério estritamente pessoal em:

  • As que o atraem;
  • As que ele rejeita;
  • As que lhe são indiferentes;
  • As que apresentam para ele aspectos positivos;
  • As que apresentam aspectos negativos;
  • E as que lhe são neutras.

 

As fotos que atraírem o sujeito positivamente são agrupadas e depois comentadas pelo indivíduo analisado, uma a uma. Dentre elas o analisando deverá escolher as cinco fotos com as quais ele mais se identifica por ordem de preferência, justificando a sua escolha. O avaliador poderá solicitar que o testando escreva uma história envolvendo as cinco imagens, para chegar a uma conclusão mais precisa das preferências do sujeito analisado, neste processo o Psicólogo reúne elementos que emergem das associações verbalizadas, agregando maior nível de consistência à técnica de correção.

Com base nos dados relatados pelo indivíduo o avaliador fará a correção do teste visando alcançar o objetivo do mesmo, ou seja: Classificar a inclinação profissional do sujeito analisado. No protocolo de correção o Psicólogo registra as imagens escolhidas segundo a sua polaridade: neutra, (+) ou (-). No verso são anotadas as associações verbalizadas do aplicando para os diferentes grupos de fotos de escolha positiva.

O teste foi aprovado junto ao SATEPSI em duas ocasiões distintas, em 2002 em sua versão masculina e em 2004 na versão feminina, conforme tabela abaixo:

BBT

BBT - Br Feminino - Teste de Fotos de Profissão

Não consta

2004

CETEPP

22/03/2005

30/05/2005

13/08/2005

---

---

Favorável
(13/08/2005)

BBT (Teste de Fotos de Profissão).

2ª Edição

2000

CETEPP

14/05/2002

13/12/2002
14/04/2003

10/04/2003
28/06/2003

---

---

Favorável
(06/11/2003)

 

INFORMAÇÕES GERAIS DO TESTE

 

  1. 1.Título:

O Teste de Fotos e Profissões – BBT (acrónimo do alemão Berufsbildertest).

 

  1. 2.Autor(es) original(is):

Martin Achtnich (1918 - 1996).

 

  1. 3.Editor(es) do Original:

Martin Achtnich (1918 - 1996).

 

  1. 4.Editor(es) da tradução:

         André Jacquemin

 

ASPECTOS TEÓRICOS

 

O teste segue a base teórica de Leopold Szondi (1893 - 1986) um médico psicopatologista e psicanalista húngaro, que acreditava que o ambiente tem o poder de lapidar o homem, mas que a herança genética e fatores pulsionais determinarão até que ponto o indivíduo será moldado pelo ambiente, por isso, pregava que a maioria das coisas que definem o destino das pessoas como: Profissão, amizades, escolhas amorosas e até as doenças e sua morte, são parcialmente regidas pelas heranças genéticas ocultas no próprio sujeito.

 

OBJETIVOS E NATUREZA DO TESTE

 

  1. 1.Objetivo – o que o teste pretende avaliar:

Classificar a inclinação profissional do sujeito analisado.

 

  1. 2.População – faixa etária que pode ser submetida ao teste:

Indivíduos a partir de 12 anos de idade.

 

  1. 3.Descrição do teste material a ser utilizado:

 

  • 112 fotografias (cartões);
  • Duração Livre;
  • A aplicação será feita individualmente em ambiente reservado;
  • A aplicação deverá ser feita por Psicólogo devidamente treinado.

 

 

  1. 4.Normas para correção e interpretação – como é feita a correção e interpretação do teste:

 

As fotos que atraírem o sujeito positivamente são agrupadas e depois comentadas pelo indivíduo analisado, uma a uma. Dentre elas o analisando deverá escolher as cinco fotos com as quais ele mais se identifica por ordem de preferência, justificando a sua escolha. O avaliador poderá solicitar que o testando escreva uma história envolvendo as cinco imagens, para chegar a uma conclusão mais precisa das preferências do sujeito analisado, neste processo o Psicólogo reúne elementos que emergem das associações verbalizadas agregando maior nível de consistência à técnica de correção. No protocolo de correção o Psicólogo registra as imagens escolhidas segundo a sua polaridade: neutra, (+) ou (-). No verso são anotadas as associações verbalizadas do aplicando para os diferentes grupos de fotos de escolha positiva.

 

  1. 5.Outros instrumentos:

         Não foi verificado nenhum outro instrumento que simule o BBT.

 

  1. 6.Situação do teste frente ao SATEPSI – aprovado ou reprovado para uso, datas de aprovação ou reprovação:

 

BBT

BBT - Br Feminino - Teste de Fotos de Profissão

Não consta

2004

CETEPP

22/03/2005

30/05/2005

13/08/2005

---

---

Favorável
(13/08/2005)

BBT (Teste de Fotos de Profissão).

2ª Edição

2000

CETEPP

14/05/2002

13/12/2002
14/04/2003

10/04/2003
28/06/2003

---

---

Favorável
(06/11/2003)

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O teste BBT apresenta importância significativa para orientação vocacional e treinamento de pessoal e poderá ser usado como ferramenta psicológica nas empresas, escolas, instituições para melhor colocação de pessoal no mercado de trabalho. Por ser um teste que atende a um vasto público, pois sua aplicação poderá ocorrer em indivíduos a partir da adolescência (12 anos), se torna uma ferramenta indispensável para melhor adequação dos indivíduos a suas vocações e também para ajudar ao testando quanto as suas possíveis aptidões profissionais.

 

REFERÊNCIAS:

 

  • ACHTNICH, M. (1991). BBT – Teste de Fotos de Profissões. São Paulo: Cetepp.
  • JACQUEMIN, A. (2000). BBT-br – O Teste de Fotos de Profissões: Normas – Adaptação Brasileira – Estudos de Caso. São Paulo: Cetepp.
  • WEB:

www.cetepp.com.br