ELE E ELA

628045

 

ELE E ELA

 

Ela desce do carro, bate a porta com força, como se pedisse para não ser seguida. Tira os sapatos de salto “15” e segue em direção à água que se mistura com a areia na beira da praia.
Enquanto sente o frio das ondas em seus pés descalços, ela se afasta cada vez mais, fugindo sem rumo, daquele que seria seu destino inevitável.
Ele ainda no interior do veículo, a observa e percebe a grande besteira que fez. Só não sabe como consertar seu erro, e o medo que sente naquela hora o devora, ao pensar na possibilidade de perdê-la para sempre.
Pensa rapidamente em uma maneira de abordá-la, sem parecer patético e imbecil, mas nada lhe vem à mente e apenas continua a abservá-la, enquanto ela se afasta cada vez mais em direção da praia deserta.
Ao retirar seu olhar de sua musa por alguns instantes, tenta buscar uma explicação lógica para aquele trágico desfecho. Relembra com clareza de detalhes os lindos momentos vividos pelos dois, pensa também no instante mágico que a viu pela primeira vez. Apaixonou-se a primeira vista e fez o que quase nenhum homem teria coragem de fazer para conquistar a mulher amada: Buquês de rosas, ursinhos, chocolates, faixas gigantescas no portão com juras de amor eterno...
Infelizmente, por um descuido, acabou cometendo um deslize: Ao reencontrar uma ex-namorada, por acaso, acabou passando seu telefone para ela.
Hoje tinha tudo para ter uma noite perfeita, pois depois de tantos meses de expectativas, finalmente ele se sentia pronto para pedir a mão de seu grande amor em casamento.
Para isso, prepara um jantar romântico, em um restaurante cinco estrelas. Ela ao receber o convite para jantar, já imaginava que aquele seria o grande dia dos dois.
Mas um incidente irá mudar os seus destinos: O garçom ao servi-lo com uma raridade de vinho acabou por derramar, sem querer, um pouco do líquido tinto na camisa dele.
O garçom imediatamente se desculpa, tentando limpá-lo com uma toalhinha. Só que a ideia da toalhinha acaba piorando ainda mais a situação, agora sua camisa está toda manchada.
Ele, sem perder a elegância, pede licença para se retirar da mesa, pois aquele momento tem que ser especial e inesquecível, por isso, precisa usar o toalete para se limpar e depois retornar ao clima romântico da ocasião.
Ela em sua cadeira se lamenta pelo ocorrido, e concede a licença para que seu amor se levante para se limpar antes de retomar o jantar.
Agora que seu amado se ausentou por alguns instantes, o pensamento dela navega na magia daquela noite, percebe seu coração disparado e não consegue esconder seu sorriso estampado de orelha a orelha.
TRIMMMM... TRIMMMM... Um barulho estridente interrompe os pensamentos dela, e ao olhar para o bolso do paletó dele, percebe que ele havia esquecido seu celular ali.
TRIMMMM... TRIMMMM... Desconfiada ela imagina que talvez pudesse ser alguma chamada urgente, e que não teria problemas se atendesse.  Afinal, se tudo ocorresse como o imaginado, daqui a poucos instantes ele a pediria em casamento.
-Alô. Ela fala delicadamente.
Ao perceber que uma mulher atende a ligação, a ex dele não deixa por menos.
-Alô. Gostaria de falar com o meu namorado, você poderia passar o telefone para ele?
-Namorado! Ela exclama assustada.
-Sim. Meu namorado. Nos vimos hoje e ele me disse para retornar neste número. Você pode passar para ele?
TUM... TUM... TUM... TUM...
Ela desliga, e fica completamente sem reação na mesa do restaurante.
Ao perceber que ele se dirige a seu encontro, depois de resolver o incidente do vinho, ela o espera com um olhar mais penetrante que espada de dois gumes.
-O que houve aqui? Você está bem? Questiona ele ao perceber o olhar devorador dela.
-Vou ficar ótima, assim que você me levar embora daqui! Ela retruca furiosa.
-Mas o que houve? Aconteceu alguma coisa? Ele interroga.
-Bem, você deve saber o que aconteceu, ou se não sabe pergunte para sua namoradinha que acabou de ligar no seu telefone que ela vai te falar.
O mundo desaba na cabeça dele, quando se lembra que havia entregue seu número de telefone para sua ex mais cedo.
-Não é nada disso... Eu posso explicar... Fala ele se embaraçando e tentando uma justificativa.
-Não quero ouvir suas explicações. Por favor, leve-me daqui! Ordena ela segurando o choro.
Ao terminar de falar, ela se levanta e segue em direção à porta do estabelecimento.
Ele acerta a conta com o garçom e rapidamente procura segui-la.
Naquela altura, ela não o ouviria de maneira alguma, e sabiamente ele entra no carro e tenta esperar algum tempo até que ela esteja mais tranquila para ouvi-lo.
Em um dado momento da viagem os dois em absoluto silêncio, só se ouvem os suspiros profundos dela ao tentar conter as lágrimas, seus pensamentos envolvidos em um turbilhão de emoções. De repente ela pede para que ele pare o carro.
Ele obedece resignado, pois não quer confrontá-la naquele momento tão delicado.
Ela salta... E sem os saltos segue em direção a areia da praia.
Ele ao voltar de seus pensamentos tenta avistar a imagem da mulher de sua vida, mas percebe que a imagem dela se faz imperceptível.
Assustado ele saí do carro e corre tentando avistá-la novamente.
Ao gritar o nome dela, ele percebe que ela não está mais na beira da praia, e não consegue alcançá-la a olho nu.
O desespero toma conta do seu coração e sem pensar ele mergulha no mar a procurá-la.
Ele nada contra a maré... Nada desesperadamente, até perceber que as ondas estão fortes demais, se não retornar para a areia naquele momento, talvez não consiga mais lutar contra a força do mar.
Ao retornar para terra firme, ele a procura novamente com os olhos, mirando para todas as direções, grita o nome dela, se desespera... Mas ela não pode mais o ouvir, pois foi levada pelas ondas do mar revolto em questão de segundos, enquanto ele ainda estava em seu carro.
Ele chora desconsoladamente e aos prantos percebe algo boiando a alguns metros da praia. Ele mergulha novamente e nada em direção ao desconhecido. Quando chega mais perto, percebe que é sua amada, que está desacordada em meio as fortes ondas da beira do mar.
Ele já bem cansado a abraça e a leva consigo para beira da praia. Ali ele percebe seus sinais vitais e tenta reanimá-la com respiração boca-a-boca e massagem no tórax.
Após alguns minutos de incansáveis tentativas, ele a ouve tossir... Ela vomita muita água do mar e retoma a consciência aos poucos.
-Meu amor... O que houve? Ela interroga sem entender direito o que havia acontecido, pois a onda que a carregou veio de surpresa sem dar chances para que ela tivesse qualquer reação.
-Você foi levada pelas ondas do mar meu amor, se afogou e quase morreu... Mas eu estou aqui para te proteger e não vou permitir que nada de ruim venha a te acontecer. Ele desabafa enquanto chora com ela nos braços e agradece ao destino por permitir que sua amada ainda esteja junto a ele.
Assim que retoma suas forças, ela o abraça fortemente, a emoção do momento é tão grande que os dois se entregam a paixão ali mesmo, na beira da praia. E no ápice do momento prometem um ao outro que nunca mais irão deixar que coisas corriqueiras e banais, destrua aquela linda história de amor.

Lições retiradas do texto:

"Muitas vezes, perdemos as coisas mais importantes das nossas vidas, por mero erro de interpretação."

"Por uma pequena brecha, pode entrar em uma casa, um grande furacão."

"Um pequenino buraco no casco, poderá levar para o fundo do mar, a maior das embarcações."

 

Sabrina de Almeida